Configuração de rede no Ubuntu e Debian

Configuração de rede no Ubuntu e Debian

imagesdebian_logoExistem 2 tipos de configurações de rede no Debian e Ubuntu, a que voce pode fazer pela interface gráfica, o que provavelmente voce nao vai precisar fazer nada e pelo terminal, o que é altamente recomendado. Porque é altamente recomendado? E se você perder o ambiente gráfico (X Window System), o que voce vai fazer, caso voce precise instalar um pacote pelo dpkg utilizando o apt?

Hoje as pessoas estão muito “má acostumadas”, com os recursos do novo xorg, por auto-configurar todo o ambiente gráfico de forma “automática”, e com bibliotecas muito bem homologadas, como recursos de “auto-consulta”, do network-manager que acompanha tanto o GNOME como o UNITY, para a “auto configuração”, dos adaptadores de rede, como por fio ou sem fio. Mas e se isso tudo parar, o que voce vai fazer? Primeiro, gostaria de deixar claro que aplicativos como o network-admin e daemons como o Network-Manager são as coisas mais bizonhas do mundo para o mundo Linux, que além de literalmente “cagar” todo o seu arquivo de configuração, pois o mesmo se “auto reconfigura” de tempo em tempo e quando voce quiser trabalhar com ele,  em vez de voce perder o tempo com o cnetworkmanager, configure o /etc/network/interfaces. Voce ja pensou se os administradores UNIX, dependessem do dtlogin para configurar o X como do CDE para configurar rede?

No Ubuntu por herança do Debian, toda a configuração de rede é realizada e centralizada no arquivo /etc/network/interfaces e a configuração do hostname é realizada em /etc/hostname.

Ponto de atenção: Como o Network-Manager, daemon que acompanha o ambiente gráfico Unity e GNOME altera as configurações do arquivo interfaces de forma automática, é recomendado voce parar este serviço ou remover. Lembrando que ao fazer isso voce remove de vez os ícones do systray do Ubuntu ou da barra de notificações do GNOME. Você pode interromper editando o arquivo de configuração do serviço em /etc/NetworkManager/NetworkManager.conf, alterando o atributo managed=true para managed=false e barrando as configurações de main para que o mesmo não altere o arquivo interfaces, ou editando o arquivo do upstart, o que relaciona o serviço como um script de auto-execução para com a sua runlevel (no Ubuntu e Debian, sempre 2), alterando o arquivo /etc/init/network-manager.conf  para off ou removendo o mesmo, ou utilizando os comandos:

# /etc/init.d/network-manager stop
# sudo initctl stop network-manager
# service network-manager stop
# invoke-rc.d network-manager stop

Vale lembrar que o Network Manager é para o Ubuntu Desktop ou Debian com o desktop instalado pelo d-i ou pelo pacote gnome, ja no Debian sem desktop e no Ubuntu Server voce não vai precisar realizar esse procedimento.

No procedimento acima a respeito do upstart ou init, ele pode alterar variando de acordo com a versão e/ou release do Ubuntu e Debian, lembrando que o Debian que voce esta usando, pode ter o init e todo o processo de scripts rc e não o upstart. Então apenas execute o comando seguinte para interromper o serviço para sempre no seu sistema:

# update-rc.d -f network-manager remove

Para configurar o seu dispositivo de rede no Ubuntu ou Debian é necessário verificar quantas interfaces de rede física voce possui com o comando:

# dmesg | grep -i eth0
# lspci -v | grep -i ethernet

Então verifica a velocidade da interface de rede ou a própria interface de rede com o comando mii-tool eth0, lembrando que no Linux a sua primeira interface de rede com o encapsulamento de ethernet é eth0, sendo o segundo eth1 e por ai vai. Voce também confiando no udev e seu conjunto de regras em /etc/udev/rules.d, voce pode executar um simples ifconfig -a, para se certificar de quantos dispositivos o seu kernel encontrou e auto-configurou, lembrando que será possível ver as configurações do Mac Address em HWaddr (endereço MAC/Phisical), da sua placa de rede. Um outro método é pelo comando ethtool, mas este somente esta disponível em uma instalação do RHEL, CentOS ou Fedora, no Debian e Ubuntu é necessário instalar o seu pacote.

Então vamos configurar sua rede. Mas antes, defina um hostname em /etc/hostname, para fixar para o próximo boot e troque a varável com o comando hostname, para concluir realize apenas um logout com o comando logout ou exit.

Edite o arquivo /etc/network/interfaces com a seguinte informação: declare o dispositivo, informe o IP, mascará, gateway, broadcast (opcional) e rede (opcional). É claro que o arquivo possui vários outros parâmetros, mas apenas nos focar na configuração de rede.

O arquivo /etc/network/interfaces se parece com isso:

auto eth0
iface eth0 inet static
  address 10.0.0.8
  netmask 255.255.255.0
  gateway 10.0.0.1

Note que no arquivo você ja encontra a configuração do dispositivo de loopback e as linhas para configurar seu dispositivo de rede será necessário você mesmo realizar. No Debian e no Ubuntu Server o próprio processo de instalação pelo Debian Installer, escreve o arquivo e fixa as configurações, seja por IP estático ou DHCP. Para configurar por DHCP e obter o endereço de IP de forma automática, basta você alterar a linha “iface eth0 inet static”, para “iface eth0 inet dhcp”, sendo não mais necessário colocar address, netmask e gateway, pois toda configuração será realizada pelo DHCP e caso falhe a configuração de route e dns, voce mesmo poderá realizar com o comando route ou no caso do DNS, editando o arquivo /etc/resolv.conf. Eu sempre recomendo a utilização de “auto”, do que allow-hotplug, devido a algumas incosistências de sua distribuição e configurações do script ifup e o parametro –allow=hotplug.

Como ponto de atenção vale a pena lembrar que no arquivo /etc/network/interfaces, também se configura dispositivos de bond, como o bond0, dispositivos de vlan como vlan10 e dispositivos virtuais tal como a eth0:0, sendo o primeiro dispositivo “virtual”, do seu primeiro dispositivo físico.

Apos você concluir a configuração basta voce reinicializar a leitura do arquivo com a reinicialização do daemon networking, que é o serviço de rede do Debian e Ubuntu, isso quando o maior privilégio não esta com o network-manager, então náo esqueça de desativar as configurações do network-manager como mencionei la em cima, pois o mesmo refaz a leitura a todo o momento, buscando a sua auto-reconfiguração, principalmente quando ocorre um ifdown por parte do servidor dhcp.

Para subir as configurações de rede e validar todo o arquivo /etc/network/interfaces, basta reinicializar o daemon networking com o comando:

# /etc/init.d/networking restart

Verificar sua configuração com o comando ifconfig eth0 (ou apenas com o comando ifconfig, sendo que a interface ativa é apresentada com UP em sua configuração), e testar o mesmo com o comando ping.

Lembrando que por padrão, o daemon networking e hostname (isso mesmo), no Debian e Ubuntu são automaticamente inicializados de acordo com o seu nível de prioridade para sistema, ja construído no processo de instalação da distribuição em e determinado em /etc/rcS.d abaixo da prioridade 20 e no Ubuntu, dependendo da sua versão pelo upstart, cujo a sua auto-configuração do processo para o daemon fica em /etc/init/networking.conf, inicializando e sendo interrompido pelo initctl, ifup e ifdown.

Powered by Moblie Video for WordPress + Daniel Watrous